.
.
.
.................................
Aqui a poesia é amadora. A música e a fotografia, amadoras. Tudo dentro deste peito é amador.

.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Menino saudade







Leonardo é quase saudade. Penso que talvez ele até a tenha inventado com suas ferramentinhas de cativar e já que também a palavra não possui equivalente em outras línguas. Penso eu...
Embora ele imagine ser apenas um regador dela, só mudou o sentido para modo de não assustar tanto. Foi o que fez, polarizando saudades no trilheiro que dá para o meu quintal, onde nascem pés de nao-vejo-a-hora e volte-logo. E como ele gosta de vir regar, eu deixo. Dizem que cria casinha de pássaro a arvorinha que cresce debaixo dos olhos do dono. Seu olhar segura afeição na gente!
Seu sentir descomparado, desenha manhãs na paisagem. E a inocência se encarrega de prolongar os domingos. Haja visto, pela falta que ele faz. Leonardo é quase uma saudade!


Pelo aniversário de um amigo por demais especial, uma alma distinta e cativante. Leonardo







A imagem é da Amanda Cass



6 comentários:

  1. Ah eu fico todo bobo assim!

    Especial és tu que me trás essas
    lindezas e faz nascer um sorriso.

    Beijos Menina Ziris!!!

    ResponderExcluir
  2. Hummmm, eu bem imaginava que era do Léo sim...mas o niver dele foi qdo ...eu me lembro ter parabenizado ele mas não por agora....mas no carinho toda hora é hora né...homenagem mais que merecida, e eu posso contatar a veracidadede tudo queaqui tá escrito..Léozinho é mesmo um menino de sonho.

    Bjo pra ti menina Zíris e beijo tb para o Léo.

    Erikah

    ResponderExcluir
  3. Parece que você e aquela que voa bebem da mesma fonte. Mas ainda assim os matizes são suficientemente distinguíveis. Assim como o prazer de ler lá e cá. Ainda que alcance altura semelhante.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Querida! muito obrigada pelo afeto eletronico! Também sempre estou por aqui... gostei muito desse para o Leonardo, dá vontade de conhecer a pessoa!
    um bjo grande!

    ResponderExcluir
  5. A saudade lembra um fim de tarde, que a gente não quer que acabe, mas que precisa anoitecer.
    A saudade as vezes é maior que a distancia.
    A saudade em última estancia, é algo bom de sentir, capaz de suprir a ausencia de quem nos ajuda a preencher a alma.

    Abraço imenso, querida Ziris!

    ResponderExcluir