.
.
.
.................................
Aqui a poesia é amadora. A música e a fotografia, amadoras. Tudo dentro deste peito é amador.

.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Sem adulto vigiando...




"Por que você não cresce menina?".

É o grito implacável do tempo a incomodar nas minhas orelhas. Só sei franzir a testa e continuar fazendo o que estava tão deliciosamente tramando. Carinhos num cartão, desenhos com borrão. E a vida pintada para fora do risco, às vezes chinelo, às vezes não...  Faço escondida do patrão, com medo do ladrão que leva o instante embora... Medo de me deixar amontoada num cantinho desse corpo espichado pelos anos. Se é sempre tempo de sonhar mais alto, se o céu sempre arruma condição pra vôo, por que não? E do tempo, faço as pazes com ele também.
 Eu ainda me vejo pequenina, alvorossada, batendo os pézinhos, a cada vez que ameaço o seu futuro colorido, de cantora, médica ou atriz. Por ela, sempre arrumo tempo de voltar a perguntar. Estou de castigo hoje? Que eu fiz? Você me perdoa? Podemos brincar agora? Vamos desenhar um coração?



Pelo dia das crianças e por todas as crianças que estão de castigo, por todas as outras que só precisam ser chamadas no portão, eu chamo.




Volta que esse mundo só precisa de você.
 (...)
 Não fique ai enterrada,  vem para a rua...
 - Cordel do fogo encantado



A imagem, novamente, é da brilhante Amanda Cass



13 comentários:

  1. Perdona-me.

    Mas não tenho ânimo para brincar com ninguém. Chega de achar que esta nuvem é um jacaré. Tenho poderosas razões para achar que é um camelo contundido. Desses que esperam.



    Quanto à Pipa.
    O céu pegou fogo na noite de ontem.
    E não há nem sinal de seu corpo.

    ResponderExcluir
  2. Caramba,eu não sei o que eu quero da vida e esse dia das ciranças só tá me fazendo abrir a cabeça pra eu olhar pra mim mesma e ver essa criança que brota no meu coração! :3 beijo zi!

    ResponderExcluir
  3. Eu sou criança ainda,que o corpo cresceu. Ainda carrego os sonhos,tenho medo de escuro,de ficar sozinha em casa,de não ter ninguém pra brincar,e principalmente,de sair sozinha no portão.Sempre precisei de um pouco de atenção...♪

    ResponderExcluir
  4. Então esse é seu ex-segredo de cantorazinha adormecida? Toda vez que me conformo com o que vejo, você me vem com um sonho desses. que tal deixar em paz meu coração? Por que simplesmente alguns não conseguem? e por que eu te sigo por todos os cantos? Devo gostar de sofrer ou ter esperança de não sofrer mais?

    ResponderExcluir
  5. Esse me fez lembrar menina Ziris de um verso do Guardador de rebanhos do Pessoa...que diz assim:

    Quando eu morrer, filhinho,
    Seja eu a criança, o mais pequeno.
    Pega-me tu no colo
    E leva-me para dentro da tua casa.
    Despe o meu ser cansado e humano
    E deita-me na tua cama.
    E conta-me histórias, caso eu acorde,
    Para eu tornar a adormecer.
    E dá-me sonhos teus para eu brincar,


    Fernando Pessoa

    Q a nossa criança interior sempre tenha pressa de chegar, que conosco possa ela sempre abraçar , brincar, ensinar...viver. Mora ela dentro de cada sonho.

    Lindo teu texto, a mais bonita homenagem que eu vi para este dia.

    Meu beijo

    Erikah

    ResponderExcluir
  6. Vim porque sai do castigo,mediante seu convite.

    Vamos colorir nuvens()

    afagos

    ResponderExcluir
  7. Olá Ziris...

    Conheci seu espaço através do seu twitter... Sigo a Cris Carvalho e descobri vc por lá! Estou admirada com seu espaço e seguindo vc aqui e no twitter! Tbm tenho um blog e sou amante das poesias, palavras, sentimentos, emoções... Quando tiver um tempinho faça uma visitinha - Varal de Esperanças - marianebraga.blogspot.com!

    Beeijoos e muita luz!

    ResponderExcluir
  8. é como eu sempre digo: Tenha sempre uma criança dentro de si, mas não pare de crescer!

    :)

    Beijos sinceros.

    ResponderExcluir
  9. Já não é a fralda volumosa e a calcinha de babados que nos arrebita a saia quando saímos ao portão do mundo, a espiar, irremediavelmente curiosas. Nosso corpo ganhou curvas e as gracinhas que nos dizem mudaram. Já não parecemos provocar instintos de proteção. Uma mulher, se é espontânea, é vista como presa ou predadora. Já não nos concedem inocência, nem sabem embalar em nós a menininha que fomos. Por isso brincamos de sério, compenetradas. Quem ri primeiro está fora do jogo. A regra é clara: aquele que sorrir perde para o outro o coração incauto.

    ResponderExcluir
  10. Bom mesmo é ser criança, os sonhos não encontram limites, nem barreiras...

    Cordel do Fogo Encantado, poesia cantada do Nordeste para o mundo.

    Lindo tudo aqui!


    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Que bom que meia dúzia de caminhos me trouxe até aqui. Bom ler textos assim, que nos levam a uma viagem lenta ao longo dos anos. Bacio

    ResponderExcluir
  12. Que boa maneira de lembrar de um tempo em que ser ingênuo não era ridículo. Nem perigoso.

    Beijo

    ResponderExcluir
  13. “Meu Deus, me dá cinco anos, me cura de ser grande...“ :]
    seguindo !*.*

    ResponderExcluir